spinner

Por favor aguarde

  logo
PT | UK
EEM Online
entrar
registar
icon
EEM Online
×
Utilizador Registado
banner
.
Ainda não é cliente EEM Online? Adira a esta loja virtual aberta só para si 24h por dia e comprove as suas vantagens.

 A-II. Encargos de ligação à rede

A ligação à rede pode tornar necessário o pagamento de encargos relativos a:

a) Elementos de ligação para uso exclusivo
b) Elementos de ligação para uso partilhado
c) Comparticipação nas redes
d) Serviços de ligação
e) Encargos devido a terceiros


Características dos elementos de ligação

Os elementos de ligação (do tipo aéreo, subterrâneo ou misto) podem ser de uso exclusivo ou de uso partilhado, em que:

  • Elementos de ligação para uso exclusivo – elementos por onde esteja previsto transitar, exclusivamente, energia elétrica, para apenas uma instalação;

  • Elemento de ligação para uso partilhado – elementos que possibilitam a ligação à rede de mais do que uma instalação. Integram-se no conceito de uso partilhado os elementos de ligação em BT que excedam o comprimento máximo (30m) aprovado pela ERSE.


Encargos com elementos de ligação para uso exclusivo

Os encargos com os elementos de ligação para uso exclusivo serão suportados pelo requisitante até ao limite dos encargos correspondentes ao comprimento máximo definido pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, fixado em 30 m, para ligações à rede em baixa tensão.

Os encargos referentes aos elementos de ligação de uso exclusivo acima do comprimento máximo serão a repartir entre o requisitante e o distribuidor (EEM). Para este efeito, o montante a suportar pelo requisitante corresponde aos valores obtidos pela aplicação da metodologia do uso partilhado, considerando o comprimento da ligação que excede 30 m.

Valores médios unitários : Uma vez que a construção dos elementos de ligação de uso exclusivo de baixa tensão é sempre promovida pelo requisitante da ligação, nos termos do nº 2 do artigo 231º do Regulamento de Relações Comerciais (RRC), não apresentamos os valores médios unitários por escalão de potência, conforme previsto no nº 6 do artigo 11º do Despacho nº 3/2007 da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Encargos com elementos de ligação para uso partilhado

Os encargos com os elementos de ligação de uso partilhado serão suportados pelo requisitante pela utilização partilhada dos mesmos.

Serão calculados, com base no comprimento do elemento para uso partilhado, tipo de elemento (aéreo ou subterrâneo) e potência requisitada, nos seguintes termos: EUP = DUP X PU

EUP - encargo com o elemento de ligação para uso partilhado
DUP - comprimento do elemento de ligação para uso partilhado
PU - definido de acordo com a seguinte tabela, em (€/m): 

Nível de Tensão Potência Requisitada (kVA) 2016 2017
Aérea Subterrânea Aérea Subterrânea
BT PR ≤ 20,7 7,43 20,19 7,52 20,43
BT 20,7 ≤ PR ≤ 41,4 8,49 21,25 8,59 21,51
BT PR › 41,4 11,69 28,20 11,83 28,54

PR - Potência requisitada.

O comprimento do elemento de ligação para uso partilhado corresponde à distância da instalação ao ponto de ligação à rede definido pelo ORD (EEM), excluidos os 30 metros comprimento da ligação de uso exclusivo.

A distância da instalação ao ponto de ligação à rede definido pelo ORD, deverá corresponder à distância ao longo do caminho viário mais curto.

O ponto de ligação definido pelo ORD será o mais próximo com condições técnicas para o efeito.

Por condições técnicas para o efeito entende-se:

  • A integração da PR para a instalação, indicada no formulário PIT, não provocará a violação dos limites de carga (corrente) na rede; 

  • A integração da PR para a instalação, indicada no formulário PIT, não provocará a violação dos limites de queda de tensão admissíveis/regulamentados;

  • A existência de condições efetivas na rede para promover a ligação (ex: base ou tribloco disponível num armário de distribuição - AD).

Possiveis pontos de ligação à rede:

Rede BT

  • Posto de transformação (PT) nas redes subterrânease áreas; 

  • Armário de dsitribuição (AD) na rede subterrânea; 

  • Apoio de rede na rede aérea.

Encargos com comparticipação nas redes

Os encargos com a comparticipação nas redes têm por objetivo fazer face a investimentos imediatos ou diferidos a montante do ponto de ligação.

Para novas ligações de baixa tensão (BT) o encargo com a comparticipação nas redes será calculado de acordo com a seguinte expressão: ERBT = URBT X PR

ERBT - encargo com comparticipação nas redes

URBT - encargo unitário

PR - Potência requisitada (kVA)

 

Nível de Tensão   2016 2017
BT (URBT) kVA 10,29 10,41


Encargos com serviços de ligação

Correspondem aos encargos a suportar pelo requisitante pelos serviços prestados pela EEM com a deslocação ao local para avaliação do traçado e ponto de ligação a rede, pela fiscalização da obra e pela apresentação das condições de ligação (nível de tensão de ligação e ponto, materiais a utilizar, traçado da ligação, orçamento dos encargos aplicáveis).

Nível de Tensão 2016 2017
BT 36,13 € 36,56 €

 

Encargos devidos a terceiros

Trata-se de encargos que não decorrem directamente dos valores de potência requisitada nem da extensão dos elementos de ligação.

 

Publicado em 13/03/2017 09:21.

Conteúdo não disponível

Conteúdo não disponível em ecrãs de pequenas dimensões

 
Contactos

Serviço de Apoio ao Cliente (Linha gratuita)

Linha EEM 800 221 187

Todos os dias, das 08h00 às 00h00.

Endereço Eletrónico: clientes@eem.pt

 

Av. do Mar e das Comunidades Madeirenses nº 32
9064-501 Funchal
Madeira Portugal

 

Apoio Técnico na Ligação à Rede (PIT)

Linha EEM 800 221 187

Dias úteis, das 08h00 às 12h30 e das 13h30 às 16h30.

Endereço Eletrónico: pit_at@eem.pt

 

 
 
© Copyright 2017 - ELECTRICIDADE DA MADEIRA. Todos os direitos reservados.