spinner

Por favor aguarde

  logo
PT | UK
EEM Online
entrar
registar
icon
EEM Online
×
Utilizador Registado
banner
.
Ainda não é cliente EEM Online? Adira a esta loja virtual aberta só para si 24h por dia e comprove as suas vantagens.

De 1897 a 1949

The Madeira Electric Lighting Company, Limited

Nascem as diversas centrais hidroelétricas hoje em exploração, cujo contributo na produção de energia elétrica na ilha da Madeira assume parcela importante.

A 19 de Junho de 1897, acendem-se as primeiras luzes da pequena Central Elétrica do Funchal, facto a que a imprensa da época deu o devido destaque. Estava aberta a primeira página que faria a história da eletricidade. Em 22 de Maio de 1895, a concessão para a iluminação do Funchal por meio de eletricidade é outorgada pela Câmara Municipal ao engenheiro portuense Eduardo Augusto Kopke que a transfere, no ano seguinte, para a firma inglesa “The Madeira Electric Lighting Company, Limited”.

Esta empresa implementa a primeira rede de iluminação bem como a instalação da sua central produtora de energia elétrica.

Neste período de vinte anos, o uso e expansão da eletricidade vai-se impondo no quotidiano da cidade.

O objetivo do contrato de concessão de 1895 – a iluminação do Funchal por meio de eletricidade – é verdadeiramente conseguido pela inglesa “The Madeira Electric Lighting Company (1909), Limited” (2ª MELC), conhecida na ilha como Companhia da Luz Elétrica.

Para responder às exigências da crescente procura, a 2ª MELC adquire em 1910 um novo grupo, ampliando a central, já conhecida como “Casa da Luz”, com mais dois em 1911, todos eles com a potência de 135 kW.

Em 1925 é feita uma alteração ao contrato de concessão com a Câmara Municipal, sendo alargado o prazo de 40 para 50 anos, construindo a MELC, no mesmo ano, uma nova central que comportará 5 novos grupos, até ao final da década de 30, cuja potência total nominal era de 1890 kW.

Na década de 1931 – 1940, a MELC completa o equipamento da Central Térmica com a aquisição do seu mais potente grupo eletrogéneo de 725 kW.

A Companhia, durante a vigência da concessão atinge o seu máximo de produção e venda de energia em 1938 e 1939, respetivamente. O Governo toma a iniciativa de estudar o aproveitamento das águas da Madeira, também para a obtenção de energia elétrica (enviando para o efeito a Missão Técnica de 1939) o que virá a acontecer duas décadas depois.

Entretanto, um pouco por toda a ilha, desenvolvem-se iniciativas particulares com vista ao aproveitamento da água, como na Ponta do Sol (Miguel Pestana Reis e Empresa Eléctrica da Ponta do Sol) e na Camacha (Frederico Rodrigues).

Neste período, estala a Segunda Grande Guerra com repercussões na aquisição de combustíveis, o que vai criar enormes dificuldades à inglesa “The Madeira Electric Lighting Company (1909), Limited”. A fim de estudar o aproveitamento da água para rega e produção de energia, o Governo enviou à Madeira, no ano de 1939, uma Missão Técnica.

Nenhum aproveitamento hidroelétrico de vulto existia então, contando-se apenas algumas iniciativas particulares de ínfima produção.

Seguindo a orientação estabelecida no país, quanto ao aproveitamento da água para obtenção de energia elétrica, a Missão Técnica de 1939, realizou um importante trabalho que se traduziu no plano aprovado pelo Decreto-Lei n.º 33 158, de 21/10/1943, onde era prevista a construção de várias centrais hidroelétricas, aproveitando duplamente a água que “abundantemente, manava desde os mais altos píncaros até ao mar”.

Publicado em 02/04/2015 19:32.

Conteúdo não disponível

Conteúdo não disponível em ecrãs de pequenas dimensões

 
Contactos

Serviço de Apoio ao Cliente (Linha gratuita)

Linha EEM 800 221 187

Todos os dias, das 08h00 às 00h00.

Endereço Eletrónico: clientes@eem.pt

 

Apoio Técnico na Ligação à Rede (PIT)

Linha EEM 800 221 187

Dias úteis, das 08h00 às 12h30 e das 13h30 às 16h30.

Endereço Eletrónico: pit_at@eem.pt

 
 
© Copyright 2014 - ELECTRICIDADE DA MADEIRA. Todos os direitos reservados.